top of page

Breve nota sobre o New York Daily Tribune: Entre Marx e Engels, o desafio da autoria


Por Igor Dias


Fundado em 1841 sob o nome de New-York Tribune, o New York Daily Tribune (NYDT) - como foi denominado entre 1842 e 1866 - foi um jornal estadunidense progressista do século XIX com relevante influência política, sendo o diário de maior circulação no mundo à sua época. Ligado ao partido Whig e, após sua dissolução, ao partido Republicano, o periódico se destacou pelas suas análises internacionais, com diversos correspondentes no seu quadro operativo, entre eles o que nos é de maior relevância: Karl Marx, que nele teve o que se pode considerar seu mais extenso vínculo empregatício, tendo a duração de dez anos (1851-1861). Por meio do NYDT, Marx efetuou análises acerca dos mais variados temas em textos ainda hoje inacessíveis em sua completude para leitores da língua portuguesa.

Após a Primavera dos Povos, Marx, recém deportado de Paris (1849) e tendo fixado residência em solo inglês sob condições miseráveis de reprodução da própria vida, receberá o convite de Charles Anderson Dana - então editor administrativo do jornal - para ser correspondente internacional do diário nova iorquino. Não é mero detalhe a condição precária que leva Marx ao aceite do emprego. Tendo conseguido chegar a Londres em 1849 apenas devido à campanha de arrecadação de donativos levada a cabo por Lassalle, se fazia urgente meios para não ceder à fome e sustentar os estudos de economia política aos quais havia se proposto.

É neste cenário que, no dia 14 de agosto de 1851, redige uma carta a Engels (que se encontrava em Manchester) na qual, entre outras discussões, solicita auxílio do amigo na redação de textos para o NYDT, para que consiga prosseguir com seus estudos na devida qualidade e abdicação. Assim, os primeiros textos sob a assinatura de Karl Marx no jornal são, na realidade, de autoria de Engels, passando a constituir os dezenove capítulos de “Revolução e Contra-Revolução na Alemanha". Ainda estima-se que, dos 487 artigos submetidos por Marx ao NYDT, 125 sejam, em verdade, produção engelsiana.

Dada a dispersão dos materiais e a ausência de tradução em sua completude até o presente momento para o português, à exceção deste ou daquele compilado temático, a tarefa de tradução deste material encontra desafios desde a autoria de sua redação. Cabe, portanto, afirmar que o texto “XV - Alemanha: Revolução e contrarrevolução” não se tratava do primeiro texto assinado por Marx no NYDT, tendo sua autoria real por Engels, diferentemente do que apontamos a princípio. Por fim, visando incorrer no mínimo possível de imprecisões, manteremos a assinatura dos textos tal qual se encontra nos jornais, que têm sido nossa fonte fundamental, buscando assinalar sempre que houver dubiedade acerca da autoria, de acordo com os materiais consultados em paralelo.

Comments


bottom of page